Wanisa Costa Lins
 
 
 
 
 
Lua cheia,
lua de maio,
Refletida no infinito do meu ser
Lua branca de paz,
De harmonia e silêncio!
 
Vislumbro o Buda irradiante,
envolto na grande luz, 
compreensão plena,
todo compaixão,
nirvanizado,
Ser total!
 
Ó Lua de Luz
Ó Buda de Luz
Sidharta Gautama,
o Iluminado,
o Compassivo,
estai em nós!
 
000
 
O poema acima é reproduzido da revista “O Teosofista”, edição especial, julho-dezembro 1975, p. 42.
 
000
 
O grupo SerAtento oferece um estudo regular da teosofia clássica e intercultural ensinada por Helena Blavatsky (foto). 
 
 
Para ingressar no SerAtento, visite a página do e-grupo em YahooGrupos e faça seu ingresso de lá mesmo. O link direto é este:
 
 
000