A Ajuda Mútua é a Lei
da Bênção e do Bom Carma
 
 
Carlos Cardoso Aveline
 
 
 
 
 
Todo peregrino tem diante de si vários procedimentos possíveis pelos quais é capaz de avaliar se quiser o estado em que está aquela ponte oculta e interna que leva até o seu eu superior, sua alma espiritual.
 
Um dos procedimentos consiste em comparar a quantidade relativa de ressentimento e de gratidão no modo como ele olha para os outros, e para a vida.
 
A má vontade, naturalmente, é tímida. Tem vergonha de si mesma. Trata de disfarçar-se sob o manto de outros sentimentos mais nobres.
 
A frustração diante da vitória e das qualidades positivas de outras pessoas é um sintoma de que o antahkarana enfrenta um problema: o contato com nossa verdadeira alma está sendo asfixiado pelo monóxido de carbono do orgulho pessoal, do medo, da ambição e sentimentos similares.
 
A inveja é uma forma de cegueira. É um problema sério na oftalmologia da alma. O problema básico de quem sente inveja é que não pode enxergar o seu próprio valor e gostaria de roubar o valor de alguma outra pessoa.  
 
A gratidão é diferente.
 
O agradecimento interior não é “tímido” e não tem motivo para permanecer em segredo. Tampouco é algo de que devamos ter orgulho. Assim como o peregrino não pode sentir-se orgulhoso da sua humildade, ou do seu contentamento, haverá algo de errado se fizer propaganda excessiva da sua gratidão.
 
A humildade abre caminho para o agradecimento interior, assim como a gratidão estimula a humildade, mas estes dois aspectos da vida são silenciosos.
 
Os sentimentos destrutivos com frequência fazem demasiado ruído em uma sociedade orgulhosa do seu materialismo. Os sentimentos voltados para a cooperação sincera fluem em harmonia com a nossa alma espiritual e preferem o silêncio, ou a expressão verbal sucinta, especialmente quando são profundos e duradouros.
 
O Poder da Ajuda Mútua
 
O desejo de competir e ver os outros como inferiores a si, ou de considerar-se mais sábio e superior a eles, é uma forma em grande parte subconsciente de optar pela surdez e pela cegueira.  
 
O mesmo sentimento expressa uma falta de coragem de olhar para si mesmo de um modo honesto.
 
Logo que alguém toma a decisão madura de trilhar o caminho da sabedoria, torna-se incapaz de sentir prazer quando vê um erro, real ou imaginário, em seus colegas de caminhada. Tal indivíduo celebra o progresso dos colegas. Ele sabe que é beneficiado pela vitória deles.
 
Quando vemos uma atmosfera no movimento esotérico  em que são possíveis os ataques pessoais,  ostensivos ou encobertos, e na qual  as pessoas desejam  competir para ver “quem é o mais sábio” ou “tem mais poder”,  é importante reconhecer com clareza um fato central.  Esta espécie de atmosfera coletiva é venenosa. Ela estimula o oposto da bondade e está diretamente relacionada com a morte espiritual de associações esotéricas.
 
A ajuda mútua honesta e duradoura é a Lei da Bênção e do Bom Carma. Ser sincero inclui examinar os erros com a intenção de corrigi-los e curá-los. Não há sinceridade real, a menos que haja boa vontade.
 
Meus semelhantes são todos colegas de caminhada. São espelhos imperfeitos, mas valiosos, que refletem aspectos da minha própria alma.
 
Com graus variados de exatidão, os outros seres mostram os níveis superiores e inferiores da minha existência, e interagem com eles. Devo lembrar que cada pessoa sincera possui uma alma imortal. É graças ao respeito pelo eu superior do outro que preservo a qualidade do contato com minha própria alma. 
 
000
 
Uma versão inicial do texto acima foi publicada sem indicação do nome do autor em “O Teosofista”, maio de 2016, pp. 9-10. Título original: “A Má Vontade e a Gratidão”.
 
000
 
Veja em nossos websites associados os artigos “Inveja e Amizade”, “A Magia da Ajuda Mútua”, “Transcendendo a Competição” e “Um Por Todos e Todos Por Um”, de Carlos Cardoso Aveline.
 
000
 
Em 14 de setembro de 2016, depois de uma análise da situação do movimento esotérico internacional, um grupo de estudantes decidiu criar a Loja Independente de Teosofistas. Duas das prioridades da LIT são tirar lições práticas do passado e construir um futuro saudável.
 
000
 
O grupo SerAtento oferece um estudo regular da teosofia clássica e intercultural ensinada por Helena Blavatsky (foto). 
 
 
Para ingressar no SerAtento, visite a página do e-grupo em YahooGrupos e faça seu ingresso de lá mesmo. O link direto é este:
 
 
000