Comer Corretamente Faz
Parte do Estudo da Filosofia Esotérica
 
 
Carlos Cardoso Aveline
 
 
 
 
 
Que o alimento seja teu remédio, e teu remédio seja o alimento”.
 
Válido em todas as épocas, este axioma atribuído a Hipócrates é um princípio central em teosofia, por várias razões.
 
Em primeiro lugar, a ideia indica a relação correta entre o individuo e o ato de alimentar-se. A comida deve ser fonte de saúde. É uma grave distorção olhar para ela como mera fonte de prazer, como muitos fazem hoje. E isso constitui parte da Raja Ioga: o autoconhecimento é o oposto do prazer imediato.
 
Em segundo lugar, o axioma hipocrático indica a importância da saúde – física e emocional – na busca da sabedoria.
 
Uma terceira razão pela qual o princípio tem importância teosófica está no fato de que a filosofia esotérica trabalha em aliança com a Natureza e através dos métodos dela. Com o tipo certo de alimento, a Natureza nos oferece substâncias curadoras que vêm até o nosso organismo de modo preventivo e antes que qualquer doença se manifeste.
 
Isso nos permite ter vidas mais saudáveis no plano físico e produzir pensamentos e emoções mais puros. A influência psíquica do que se come constitui um fator decisivo na vida humana, conforme tem sido demonstrado desde a antiguidade. Uma refeição é um fato suficientemente importante para que seja vivido com calma, e um mestre de sabedoria escreveu:
 
“O conhecimento, para a mente, como o alimento para o corpo, destina-se a nutrir e ajudar o crescimento, mas necessita ser bem digerido, e quanto mais completa e lentamente for encaminhado o processo, melhor será para o corpo e a mente.” [1]
 
A humanidade deve abster-se de toda crueldade para com os animais, inclusive na alimentação. A teosofia apoia o vegetarianismo. Em seus “Collected Writings”, Helena Blavatsky afirma que discípulos (avançados) da sabedoria oriental seguem uma dieta baseada em frutas. [2]
 
Nas “Cartas dos Mahatmas”, um mestre recomenda a um discípulo leigo o livre uso de frutos na sua alimentação.[3] O ensaio teosófico “O Elixir da Vida” afirma que nossa dieta deveria ser “inocente e simples”, e acrescenta: “As frutas e o leite são normalmente o melhor.” [4]
 
Pesquisas extensas de Alfons Balbach e outros autores comprovam e descrevem com segurança os poderes curativos de dezenas de frutas, além de hortaliças e ervas naturais.
 
NOTAS:
 
[1] “Cartas dos Mahatmas”, Editora Teosófica, Brasília, volume I, Carta 42, p. 193.
 
[2] “Collected Writings”, TPH, Volume XIV, p. 164, nota de rodapé.
 
[3] “Cartas dos Mahatmas”, Editora Teosófica, Brasília, volume I, Carta 72, p. 337.
 
[4] “The Elixir of Life”, de G.M., em “Five Years of Theosophy”, Theosophy Co., Los Angeles, 575 pp., ver p. 24.
 
000
 
Uma versão inicial do artigo acima foi publicada sem indicação de nome de autor na edição de março de 2017 de “O Teosofista”, pp. 9-10, sob o título de “Discernimento em Relação a Comida”.
 
000
 
Veja em nossos websites associados o artigo “A Explicação dos Jejuns”, de Helena Blavatsky, e também “A Ética da Alimentação Vegetariana” e “A Consciência do Estômago”, de Carlos Cardoso Aveline.
 
000
 
O grupo SerAtento oferece um estudo regular da teosofia clássica e intercultural ensinada por Helena Blavatsky (foto).
 
 
Para ingressar no SerAtento, visite a página do e-grupo em YahooGrupos e faça seu ingresso de lá mesmo. O link direto é este:
 
 
000