À Medida que a Percepção se Expande,
Ficamos Independentes do Uso das Palavras
 
 
Carlos Cardoso Aveline
 
 
 
O idealismo deve ser administrado com bom senso
 
 
 
* Praticando a arte de estar em silêncio, o peregrino consegue ouvir de fato os outros.
 
* Pensar criativamente requer silêncio. Um indivíduo que não consegue parar seu discurso mental tem algo em comum com a vida impensada dos papagaios.
 
* Alexandre Dumas escreveu: “As longas conversas são o feliz privilégio de quem nada tem que dizer.” [1] Por outro lado, a ausência de ruído é um oásis para o buscador da verdade. Estar livre de barulho emocional torna o ser humano capaz de viver com mais lucidez. 
 
* A introspecção renovadora também ocorre no plano coletivo. A cidade e o país renascem graças à renovação interna do cidadão.
 
* É correto retirar-se algumas vezes por dia até aquela fortaleza interna de nossa alma onde flui a força pura e inesgotável da consciência superior. Os períodos de silêncio renovam a perspectiva de vida, refazem as energias e limpam os óculos pelos quais percebemos os fatos.
 
* Salvo exceções, ninguém pode corrigir os diversos aspectos imperfeitos da sua vida em um só dia. Está ao alcance de todos, no entanto, comparar regularmente as suas ações com o seu mais alto ideal de progresso e perfeição. É privilégio de cada um aperfeiçoar pouco a pouco os hábitos e os modos de tomar decisão.
 
* Quando alguém renuncia a coisas secundárias, pode economizar energia vital e resolver favoravelmente as questões decisivas.
 
* Deixando de lado os desejos, desenvolvemos vontade. Aquele que abandona caprichos pessoais consegue ter um propósito real na vida.
 
* A ação correta exige preparação. Esforços deliberados são necessários quando alguém pretende alcançar metas duráveis.
 
* Um vento inconstante guia as mentes superficiais, fazendo com que não cheguem a lugar algum. A alma responsável combina as qualidades da rocha e do céu. É igualmente firme e capaz de abranger tudo o que existe.
 
* Um período de 24 horas contém a semente das eternidades. Cada cidadão vive em contato direto com o cosmo, conforme a Astrologia demonstra em detalhes. A qualidade desta interação pode ser otimizada a qualquer momento por uma combinação de fatores como  introspecção elevada, boa vontade e ação correta.
 
* Pensamentos e sentimentos sublimes não são o suficiente. Para realizar ações corretas de maneira estável, não basta ao peregrino ter uma meta elevada. Deve criar também alguns hábitos materiais corretos, que eliminem hábitos materiais inadequados, adotando formas de autodisciplina inicialmente tediosas.
 
* Um certo grau de energia grosseira permite dominar e controlar as tendências automáticas do corpo físico de quem busca o Caminho. A vontade de viver de modo correto não pode ser concretizada através de ideias abstratas. Requer a formação de hábitos externos que, embora materiais e imperfeitos, sejam essencialmente compatíveis com as energias elevadas e obedeçam totalmente a elas nos momentos decisivos.
 
* Graças à realização de esforços consistentes na direção correta, nossas percepções mais elevadas ganham uma força concreta e densa, passando a inspirar uma vasta teia de vida e a integrar-se no mundo cotidiano.
 
* A boa vontade é o tipo correto de vontade. O propósito generoso expressa um conhecimento da lei universal e uma afinidade com o modo como fluem as coisas essenciais.
 
* Não é sábio escolher entre o otimismo e o realismo, ou entre confiança e prudência. O ser humano necessita todas estas qualidades e ainda outras.
 
* Devemos combinar energias diferentes e contraditórias, sem ser carregados nem dominados por qualquer uma delas. A substância interna dos nossos talentos melhorará, se os usarmos para alcançar metas nobres.
 
* Palavras não podem substituir fatos. O sentido de responsabilidade ética não surge porque um apelo é feito, nem porque haja uma intensa propaganda. O peregrino precisa estar livre em sua própria alma para que tenha um sentido interno de dever. A responsabilidade resulta de compreender nossa unidade dinâmica com os outros seres. O que vai, volta, o que se planta, se colhe.
 
O Renascimento
 
* Grande parte das tradições filosóficas e religiosas ensina um princípio decisivo para a teosofia: a decadência moral leva à extinção os processos civilizatórios.
 
* Cabe a cada um examinar se há uma falta de ética e de moderação nas sociedades de hoje em dia. A resposta a esta questão define a maré básica dos fatos do futuro. O movimento teosófico existe para preservar e expandir a ética do altruísmo, que produz fraternidade.
 
* Cada ciclo doentio de crescimento em decadência moral tem como cura um novo período de expansão em franqueza e sinceridade.
 
* Embora possamos ver falsidade deliberada no mundo de hoje, seria ingênuo pensar que este é o retrato do futuro. Cada ação perversa é devidamente compensada no tempo certo. A ética é a lei eterna, e todos compreenderão isso cedo ou tarde.
 
* Ter ideais é uma função da alma espiritual. No entanto o idealismo deve ser administrado com bom senso.
 
* Na ausência de discernimento e de moderação, os ideais elevados podem causar desastres ou transformar-se em fraudes. A visão idealista do mundo é inseparável do realismo. Precisa estar combinada a uma concepção de longo prazo do tempo; a uma consciência da lei universal; a um sentimento de respeito por todos, e a uma intenção de plantar, antes de colher.
 
* A percepção profunda da vida é potencialmente tão rápida quanto a luz, embora nem tudo o que se vê seja bonito. Não é sempre que a compreensão da verdade espera pelo raciocínio analítico. Ela pode ocorrer num relance. Pode ser involuntária.
 
* O pensamento correto induz a uma percepção adequada dos fatos, mas a percepção em si está acima do pensamento e não tem grande necessidade dele, exceto como um ponto de apoio e um auxiliar fundamental. No processo da compreensão, o silêncio é tão importante quanto o pensamento.
 
* Na etapa humana atual, fica difícil para os sepulcros caiados enganar nações e pessoas de boa vontade. Há uma nova luz mostrando os fatos para quem tem bom senso. A crença cega perde força nos diferentes aspectos da vida.
 
* Quando renunciamos ao excesso de posses, a felicidade tem uma chance de descer sobre nós. A vida simples abre caminho para a plenitude e a sabedoria, e traz o bem-estar.
 
* À medida que o campo da percepção se expande, ficamos independentes do uso das palavras, embora ainda as usemos para expressar-nos no mundo. Assim a verdade se torna mais fácil de ver. No futuro as palavras serão reconhecidas como meros instrumentos externos da consciência. E quando as pessoas se compreenderem sem a intermediação de frases, a mentira será impossível.
 
A Substância do Contentamento
 
* A felicidade é a percepção de que tudo está correto com a Vida e de que não existe motivo de preocupação. Não há palavras para descrever este nível da realidade. É como um sol que nunca se põe, mas que nem sempre pode ser visto por todos.
 
* O contentamento estável resulta da unidade consciente do indivíduo com a Lei e com o Cosmos, e do seu sentimento de amizade universal por todos os seres. No entanto, esta consciência não precisa usar palavras.
 
* Em certos momentos do esforço da existência, surge o sentimento de que “a vida é perfeita”. Para a alma espiritual, um contentamento ilimitado está sempre presente. O sofrimento é um visitante e um professor: a paz constitui o espaço onde tudo acontece.
 
NOTA:
 
[1] “Memórias dum Médico”, de Alexandre Dumas. Ver parte dois, intitulada “O Colar da Rainha”, edição em quatro volumes, Livraria Editora Guimarães e Companhia, Lisboa, sem data, volume III, p. 05. O exame da obra em papel indica que foi impressa na primeira metade do século 20.
 
000
 
Ideias ao Longo do Caminho – 30” foi publicado como artigo independente em 18 de fevereiro de 2020. Uma versão inicial e anônima dele faz parte da edição de fevereiro de 2017 de “O Teosofista”, pp. 16 a 18. Os três parágrafos finais, do mesmo autor, estão publicados como uma nota curta à página sete daquela edição.  
 
Embora o título “Ideias ao Longo do Caminho” corresponda ao título em língua inglesa “Thoughts Along the Road”, também de Carlos C. Aveline, não há uma identidade exata entre os conteúdos das duas coletâneas de pensamentos.
 
000 
 
O grupo SerAtento oferece um estudo regular da teosofia clássica e intercultural ensinada por Helena Blavatsky (foto).
 
 
Para ingressar no SerAtento, visite a página do e-grupo em YahooGrupos e faça seu ingresso de lá mesmo. O link direto é este:
 
 
000